www.radiogeracao3.com.br geração 3 goiania, gyn ,Go geracao3

Domingo, 22 de Julho de 2018

Buscar  
Brasil

Publicada em 09/05/18 às 07:57h - 54 visualizações
Justiça do Rio de Janeiro manda prender Carlinhos Cachoeira

Rádio Geração 3


 (Foto: Rádio Geração 3)

A 29ª Vara Criminal da Capital do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, expediu nesta terça-feira (8), mandado de prisão contra Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira, condenado seis anos e oito meses a por fraudes na Loteria do Estado do Rio de Janeiro (Loterj). A decisão foi da juíza Simone Rolim.

Cachoeira foi condenado pelo caso Loterg em 2013 pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), mas sua prisão foi decretada pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Nefi Cordeiro, apenas na última sexta-feira (4). Em resposta, a defesa protocolou pedidopara que o contraventor cumpra a pena em prisão domiciliar, de preferência, em sua residência em Goiânia. A juíza, contudo, informou que a competência para julgar esse requerimento é da Vara de Execuções Penais.

Cumprindo prisão preventiva residencial desde 2016 em sua casa no condomínio Alphaville, em Goiânia, em razão da Operação Saqueador, da Polícia Federal, Cachoeira deve receber o novo mandado de prisão a qualquer momento. Segundo informações do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, a 29ª Vara Criminal já enviou o mandado de prisão para ser cumprido em Goiás. Em seguida, o juízo do Rio de Janeiro será avisado pela justiça de Goiás e só então o processo será encaminhado à Vara de Execuções Penais do Rio, que tem competência para decidir onde deverá ser cumprida a prisão, no Rio ou em Goiás.

O advogado do Cachoeira, Cleber Lopes, está recorrendo da decisão. Ele também informou que seu cliente está "angustiado e indignado" com a situação, mas que pretende obedecer à Justiça.

Termina hoje prazo para tirar título e regularizar situação eleitoral

          Eleitor deve ir a cartório para regularizar situação

Os eleitores brasileiros têm somente até esta quarta-feira (9) para comparecer a um cartório e regularizar a situação eleitoral para votar nas eleições deste ano.

Entre os serviços que não poderão ser realizados a partir de amanhã estão a emissão do título de eleitor, a mudança do local de votação, o cadastramento biométrico, a solicitação de atendimento especial para deficientes e a inclusão do nome social no título de eleitor.

O prazo limite está presente na Lei das Eleições (9.504/1997), que determina que "nenhum requerimento de inscrição eleitoral ou de transferência será recebido dentro dos 150 dias anteriores à data da eleição". Neste ano, o primeiro turno do pleito está marcado para acontecer no dia 7 de outubro.

A Constituição Federal estabelece que o comparecimento nas eleições é obrigatório para todos os brasileiros com mais de 18 anos. O voto é facultativo para analfabetos, maiores de 70 anos e adolescentes com idade entre 16 e 18 anos, que também têm somente até hoje para emitir o documento com a permissão para votar.

Quem perder o prazo para alguns dos serviços, como a regularização da situação eleitoral após o não comparecimento a três votações e o cadastramento biométrico, terá o título cancelado e perderá o direito de escolher seus candidatos para os cargos de presidente, governador, senador e deputados federais e deputados estaduais e distritais.

O cancelamento do título de eleitor impede ainda a inscrição em concursos públicos, a obtenção de passaporte ou CPF, a renovação de matrícula em estabelecimento de ensino oficiais e a tomada de empréstimos em bancos estatais. Após ter o título cancelado, o TSE afirma que os eleitores só terão a chance de regularizar novamente a situação após o segundo turno das eleições.

O TSE afirma que caberá ao TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de cada um dos Estados decidir sobre uma eventual flexibilidade no horário de atendimento nesta quarta-feira.

          Prazos se encerram nesta 4ª, a 150 dias das eleições

Como regularizar?

Para tirar o título de eleitor, o brasileiro deve comparecer a uma unidade de atendimento da Justiça Eleitoral com carteira de identidade, carteira de trabalho ou certidão de nascimento/casamento, comprovante de residência original e recente e certificado de quitação com o serviço militar para homens maiores de 18 anos.

Para tirar a segunda via do documento, é necessário ir a um cartório eleitoral do município, portando apenas documento de identidade.

Já para aqueles que desejam mudar o local de votação, basta comparecer a qualquer cartório eleitoral munido de um documento oficial com foto e de seu novo comprovante de residência.

Travestis e transexuais que desejarem incluir no título de eleitor o nome social, por sua vez, devem levar a um cartório a declaração do nome com o qual deseja ser identificado. O nome civil e o nome social ficarão registrados nos bancos de dados de eleitores.

Biometria

Quem perdeu o prazo para realizar o cadastramento biométrico nos municípios de 22 Estados em que o voto com a digital será obrigatório também têm somente até esta quarta-feira para comparar a um posto da Justiça Eleitoral e evitar o cancelamento do título.




Deixe seu comentário!

ATENÇÃO: Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.




Hora Certa
Baixe nosso Aplicativo
 
Esporte
No Ar
Goiás x Vila Nova ás 17hs Transmissão
Publicidade Lateral gera 1
Fan Page

62993583756

CHAT ONLINE

Digite seu NOME:


Estatísticas
Visitas: 319977 Usuários Online: 54


Parceiros





















Rádio Geração 3 " A sua melhor conecção "
Copyright (c) 2018 - Rádio Geração 3 - Todos os direitos reservados